top of page
  • Escrito por Wallace França | Editor Douglas Cavalcante

Projeto gera oportunidades de trabalho para adolescentes de Heliópolis e região

Projeto une linguagens artísticas e mentoria focando na empregabilidade de adolescentes

O projeto sociocultural Garoto Cidadão é uma parceria da Fundação CSN com a UNAS Heliópolis e Região e tem como objetivo principal, proporcionar o desenvolvimento humano de crianças e adolescentes através das linguagens artísticas (música, teatro, dança, artes visuais, expressões da arte e cultura/cidadania) e de mentorias profissionais para jovens, potencializando a inserção no mundo do trabalho.


A atuação do projeto acontece nos CCA's - Centros para Crianças e Adolescentes da UNAS e desde 2023 ampliou o acompanhamento dos jovens através do Projeto Garoto Cidadão 14+, mantendo as oficinas artísticas e complementando o trabalho através das mentorias que tem como maior objetivo, estimular a criação de um projeto de vida, colocando-os em contato com diversos profissionais, encaminhando os participantes para oportunidades dentro e fora do grupo CSN.


Ana Lúcia de Camargo, coordenadora do projeto Garoto Cidadão aqui de Heliópolis e região destaca como o projeto criou bases e estabeleceu solidez, a partir de um grande trabalho de estímulo para o pertencimento e a experimentação de novas possibilidades, de acordo com o que foi surgindo enquanto demandas, dando sustentação para aplicação das mentorias.

“O 14+ nasceu e está se solidificando. Discutimos primeiramente o pertencimento, não só de território, mas também dos educandos que estão saindo dos CCA’s e vindo pra cá. Eles já são jovens e podem aqui escolher o que eles querem fazer dentro das diversas linguagens, onde cada um vai para onde o coração mandar. Discutimos também entre a equipe esse pertencimento, entendendo aonde podemos chegar com o projeto, realizando várias experimentações. Agora sabemos mais ou menos o que vai dar certo, o que está indo bem e o que precisa melhorar.” 


Cleide Alves, Presidenta da UNAS destaca à importância da iniciativa principalmente pela faixa etária que o projeto beneficia. "Há uma falta de politicas públicas para adolescentes e jovens nesta faixa etária aqui na comunidade, o Projeto Garoto Cidadão 14+ é um dos poucos que está olhando para essa necessidade, de atuar frente à essa demanda de oportunidades de empregabilidade, acesso à experiência do trabalho em grandes empresas e conhecimento, além da importante inclusão das diversas linguagens de arte e cultura que o projeto tem no dia a dia.


O espaço onde acontece o projeto14+ conta com quatro salas para realização das atividades atendendo os jovens em três oficinas por semana. Os jovens que participam, moram nas diversas regiões que a UNAS atua e na sua maioria, são adolescentes que já foram atendidos pelos projetos da organização ou que moram no território e tem o interesse em dar seguimento nas formações.



Rafael Bira, Educador de percussão há 25 anos, trabalha nos CCA’s e no Garoto Cidadão 14+ e destaca a importância da continuidade dentro desse novo espaço e quais são os impactos positivos da arte na vivência desses jovens. “A partir das linguagens artísticas, a criança e o adolescente têm a possibilidade de explorar o autoconhecimento, de criar diversos aspectos positivos para sua vida, de crescimento pessoal e quem sabe até profissional. Mesmo que o objetivo não seja comercial, esse desenvolvimento artístico potencializa novos caminhos, explora a sensibilidade, promovendo a saúde física e mental, e o próprio corpo através da coordenação motora e questões cognitivas. A formação de público também é fruto desse trabalho, apropriando-se principalmente da cultura brasileira na medida que você tem acesso por exemplo, a um instrumento musical como o pandeiro, você vai ao encontro da história do Brasil e dá sua própria origem. Quando você aprende a tocar, você reproduz dentro de alguma linguagem artística, o fomento, a produção e multiplicação da cultura. Existem duas preocupações básicas nessa relação de aprendizado com os jovens do projeto. A primeira é enquanto individuo, dele se perceber como potência, como ele pode desenvolver isso e como lidar com todo esse aprendizado e a segunda é como eles podem trabalhar no coletivo, porque eles fazem parte de um todo, de um território.”



Além da continuação do trabalho com as linguagens artísticas, o projeto tem como missão acompanhar esses jovens no processo de chegada ao mercado de trabalho através de mentorias que são acompanhadas, durante quatro meses, por profissionais voluntários da Fundação CSN e da própria Companhia Siderúrgica Nacional, com foco na formação e na entrada do mercado de trabalho. Hoje cinco jovens formados pelo Mentoria já estão trabalhando no Grupo CSN como Jovens Aprendizes.


Sara Raquel Oliveira de 17 anos, participou do 14+ é nos conta como a mentoria foi importante para a conquista do seu primeiro emprego. “Eu gostei muito de participar do Mentoria porque estava com outros jovens participando da formação onde conhecemos pela primeira vez o mundo do trabalho, com diversas simulações dos temas relacionados a entrevista e ao trabalho. Depois desse momento, fui convidada para participar do processo seletivo com várias etapas. Recebi por e-mail e WhatsApp a chamada para entrevista e fiquei bem nervosa, mas logo me lembrei de todas as dicas e aulas que me prepararam para esse momento, onde aprendi que não preciso ter medo e que deveria ser apenas eu mesma. Penso que muitos jovens passam por etapas muito diferentes e o 14+ é como uma série e o projeto é a apenas a primeira temporada de muitas outras que virão, onde somos os protagonistas dá nossa própria história.”


Depois do processo da seleção e aprovação dos jovens selecionados para trabalharem dentro do Grupo CSN, os jovens iniciaram às atividades nos postos de trabalho e Wellington Gabriel Trajano, jovem de 16 anos, nos conta como foi essa acolhida.“Aprendemos na prática muito sobre temas importantes com profissionais explicando sobre postura, comportamento, ambiente de trabalho, sempre conversando e tirando nossas dúvidas o que me deu tranquilidade para começar a trabalhar. A equipe me recebeu de maneira muito especial e carinhosa. Quando cheguei, minha mesa estava toda decorada com um seja bem vindo e logo fui apresentado para toda empresa e equipe. Estou há dois meses lá e essa oportunidade já impacta a minha vida, onde posso ir no mercado e ajudar em casa. Hoje tenho muitas responsabilidades, mas continuo com uma mente de jovem, onde estou crescendo e aproveitando todas as possibilidades com uma mente aberta.”


Davi Silva de 17 anos, mora em Heliópolis e também está trabalhando na CSN no setor de suprimentos e traduz a importância de continuar a ajudar em casa, agora de maneira mais focada e com melhores condições de crescimento pessoal e profissional.

“A primeira impressão que tive quando comecei foi um leve medo porque eu nunca tinha trabalhado em uma empresa grande, mas aos poucos vou aprendendo minhas tarefas. São muitas coisas, mas fui muito bem acolhido pelos colegas que sempre estão buscando me ajudar e até mesmo já me presentearam com um chocolate que eu nunca tinha experimentado. Aqui é possível sim de crescer, com grandes oportunidades, com portas abertas para o nosso futuro. Já trabalhei como Ajudante de Pedreiro onde ganhava um valor pequeno e hoje com o meu salário, faço questão de ajudar em casa, apoiando minha mãe e minhas avôs que tanto me ajudaram.”


Lucas Eduardo da Silva Vilela de 16 anos, mora no Parque Bristol e trabalha na Prada CSN no setor de Gestão Desenvolvimento e Atendimento e já pensa na continuidade dentro da empresa e no seguimento da sua formação acadêmica. “Pensei que por ser o meu primeiro emprego, as pessoas iam me julgar porque sou jovem e não tinha experiência, mas foi uma outra realidade. Foram acolhedores e pacientes e estão me apresentando e me ensinando muitas coisas. E eu nunca senti isso na vida. Hoje trabalho no setor que envolve a tecnologia da informação e eu já me vejo seguindo nessa trajetória que era uma vontade minha e já tinha descartado pela dificuldade em conseguir uma oportunidade como essa que eu estou tendo agora na CSN. Acredito muito que posso crescer aqui na empresa e que isso depende do meu esforço. Antigamente eu tinha até medo de pensar de como seria o meu futuro, mas depois do Projeto 14+ e da Mentoria, isso mudou e agradeço muito por isso. Já estou pensando em fazer faculdade de Engenharia da Computação. A emoção de receber meu primeiro salário foi bem grande e comemorei com minha família. Ajudo na despesa da casa e já estou planejando ajudar na reforma da minha casa. Esse meu emprego mudou a minha vida.”

 

Gostou? Quer participar do projeto?

Entre em contato pelo telefone (11) 94562-8200.

Rua Artistas de Heliópolis, n° 2 - Heliópolis


208 visualizações

Commentaires


Posts Recentes
Arquivo
bottom of page