Golpes pelas redes sociais alcançam cada vez mais vítimas

É notório que os casos de golpes pela internet alcançam cada vez mais vítimas com uma diversidade de formatos que requer muito cuidado, atenção e informação para que a população possa inibir tais práticas do estelionato virtual. De acordo com dados da Serasa Experian, cerca de 4 milhões de casos de fraudes virtuais foram registradas no ano de 2021.


A cada nova tecnologia ou avanço, principalmente das redes sociais que utilizamos diariamente, os golpistas também se aprimoram, acompanham e incorporam essas novas ferramentas em suas ações que visam prioritariamente lesar financeiramente suas vítimas através de roubo de senhas, transferências não autorizadas, clonagem dos números telefônicos e de perfis das redes sociais, tento acesso ao maior número de pessoas.


Uma prática recente tem como objetivo ofertar uma venda falsa de bens com preços muito abaixo do valor de mercado com pagamento antecipado via Pix. A rede social clonada é usada para propagar essa venda, induzindo ao golpe as pessoas mais próximas que acompanham a vítima na plataforma hackeada, causando um efeito cascata e de rápido alcance.


Regina Garcia, moradora de Heliópolis nos contou como teve o seu Instagram hackeado apenas com uma interação casual pelas redes, trazendo muitas dificuldades para ela e consequente para todos que tiveram contato com a falsa proposta.

“Comecei a seguir uma página de uma pousada em Paraty que depois descobri que estava hackeada. Alguns dias depois recebi uma mensagem informando que ganhei um sorteio. Me pediram os meus dados e passei apenas nome e telefone. Depois dessa primeira interação eles me enviaram um link para ativar um código. Nesse momento identifiquei o golpe e não cliquei. Porém mesmo assim meu Instagram foi hackeado e os golpistas começaram a postar a venda de produtos muito abaixo dos valores reais. Não consegui mais acessar minha conta que foi modificada por eles na troca da senha. Muitas pessoas me questionaram, causando uma grande confusão por um bom tempo, fora que perdi minha conta e mesmo com o Boletim de Ocorrência em mãos, não tive a conta resgatada.”


Somando todos os valores das pessoas que retornaram o contato do caso da Regina, cerca de R$ 10 mil reais teria sido o valor desse único golpe, causando uma série de transtornos para essas pessoas. O prejuízo não se restringe apenas aos valores e sim aos traumas em quem foi vítima do golpe. Regina relata que pelo receio do acesso as suas informações pessoais, ficou alguns dias sem sair de sua casa com medo de ser abordada pelos criminosos.


Beatriz Dias também sofreu o mesmo golpe, porém ela clicou no link seguindo o padrão desse atual golpe. Diferente da Regina, ela conseguiu recuperar sua conta através do Facebook, que encaminhou uma nova senha para recuperação.

“Abri um chamado pelo Instagram onde solicitaram até um reconhecimento facial, porém pediram para aguardar. Nesse período também solicitei uma ajuda via Facebook denunciando o golpe. Consegui restabelecer minha conta por essa solicitação no Facebook que enviou uma nova senha de recuperação. A partir disso eu utilizo a ferramenta de autenticação por dois fatores que é justamente o que eu indico para todo mundo.”


Como nos dois casos podemos perceber quanto esse processo é desgastante para todos os envolvidos e que a grande maioria das pessoas acabam com inúmeros prejuízos e diversos problemas em reativar e restabelecer suas contas. Por isso a melhor indicação é o alerta e o cuidado na utilização das redes sociais, e-mails, aplicativos e mensagens suspeitas. Abaixo algumas dicas importantes para precaução desses golpes virtuais.


Principais Cuidados:

  • Habilitar a confirmação por dois fatores: as redes sociais disponibilizam o acesso através de senha e também de uma segunda confirmação realizada a cada tentativa de acesso, possibilitando a confirmação ou a rejeição desse acesso através de mensagens de texto, validação por e-mail ou até mesmo por um token;


  • Confirmar a veracidade dos anúncios: sempre que se interessar por um produto ou serviço ofertado pelas redes é importante confirmar com o vendedor a sua identidade e se ele realmente está a frente da operação de venda. Se for uma pessoa conhecida, faça perguntas que apenas a própria pessoa poderia te responder;


  • Não empreste dinheiro solicitado por mensagens na internet: no primeiro momento, desconfie do pedido e tente ligar ou até mesmo obter a confirmação pessoalmente do possível empréstimo, evitando assim transferências para os golpistas;


  • Em nenhuma hipótese divulgue suas senhas: a senha é algo pessoal e que precisa de cuidado para armazenar ou até mesmo para informar para terceiros, mesmo sendo familiares ou amigos próximos é necessário atenção para que tal informação não seja amplamente exposta;


  • Não clique em links desconhecidos: o recebimento de links enviados por mensagem de texto, e-mail, aplicativos e até mesmo nas redes sociais são constantes, porém se tornaram a porta de entrada para que estelionatários virtuais tenham acesso as suas redes sociais e aplicativos;


  • Evite interação com perfis desconhecidos e com ofertas muito atrativas: muitos dos golpes tem como ponto de partida uma oferta de viagem ou compra extremamente atrativas e irrecusáveis à primeira vista. Através desse primeiro contato, os golpistas buscam formas de acessar suas redes, inclusive por meio da persuasão;


  • Não compartilhe imagens ou informações sem antes confirmar sua procedência: receber uma mensagem ou oportunidade por meio de amigos e familiares torna a oferta mais atrativa e reduz a desconfiança, deixando o caminho livre para golpes e fraudes.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo