UNAS cria museu digital para celebrar os 50 anos de Heliópolis

Buscando preservar as memórias da maior favela de São Paulo, a UNAS criou o Museu Heliópolis com um enorme acervo de fotos, vídeos e documentos dos últimos 50 anos.

 

A UNAS sempre teve em seu trabalho o compromisso de valorizar a memória, ao longo dos anos desenvolveu uma série de atividades e projetos que produziram importantes conteúdos de resgate histórico sobre a Favela de Heliópolis. O atual desafio era como multiplicar e dar acesso a esses materiais. E neste, contexto que surge a proposta de criar um grande acervo digital, que possa preservar e disseminar as histórias do território.


O Museu Digital Heliópolis será uma das muitas formas da comunidade narrar sua própria história, possibilitando que o passado ajude a construir o futuro e que ambos sejam fontes de sentido ao presente. Refletir sobre o que passou e pensar no que está acontecendo é o que vai definindo nossa identidade como comunidade.


Criar um museu “vivo” que permita formas distintas de narração e compartilhamento de experiências diversas, se tornou um grande objetivo deste projeto que é fruto da parceria entre a UNAS - União de Núcleos, Associações dos Moradores de Heliópolis e Região e a UFABC - Universidade Federal do ABC.

A primeira etapa do projeto se desenvolveu na organização do acervo da UNAS juntamente com outros materiais coletados com os moradores do território. Com essa etapa concluída, fruto desse lote de catalogação, foi possível dar forma ao Museu Digital. Esta ação foi coordenada pelo historiador e professor da PUC - Campinas, Lindener Pareto, com apoio de Douglas Cavalcante, Coordenador do Departamento de Comunicação da UNAS, Suze Piva, Beatriz Felix e Thiago Silva da Frente Memórias da UFABC.

A valorização das histórias de vida das pessoas, contadas por elas mesmas, resume os princípios do fazer histórico que defendemos. Acreditamos que todo sujeito tem história e que toda história tem valor. E, por ter valor, toda história merece ser preservada para futuras gerações.


O Museu de Heliópolis não pode ser visto como uma instituição estática, e sim de movimentação das pessoas e suas lutas ao longo do tempo, apresentando lugares de memória que contribuam para a construção e reconstrução da identidade dos moradores e moradoras do território.


Lugares de memória, histórias de vida, diversidade de narrativas, entrevistas com moradores documentos históricos, e muito mais conteúdo, estarão disponíveis no Museu Digital de Heliópolis, que surge em homenagem a Maior Favela de São Paulo, que completou 50 anos em 2021, e a cada um dos seus mais de 200 mil moradores.




Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo