top of page
  • Escrito por Wallace França | Editor Douglas Cavalcante

Cozinha Escola completa seis meses e já distribuiu 74 mil refeições para os moradores de Heliópolis


Cozinha Escola torna-se importante espaço de combate à insegurança alimentar e a fome em Heliópolis



Hoje dia 19 de abril, celebramos 6 meses da inauguração da Cozinha Comunitária Dilza Maria Dias. A cozinha recebe o Programa Rede Cozinha Escola, fruto da parceria da UNAS Heliópolis e Região com a Prefeitura de São Paulo através da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania e da Secretaria Executiva de Segurança Alimentar e Nutricional de São Paulo. O objetivo do programa é o combate à insegurança alimentar e a fome, com a distribuição de 400 refeições por dia durante o almoço no período de segunda a sábado para população da Maior Favela de São Paulo.



Leonardo de Paula Curto, gestor do projeto Cozinha Escola faz um grande balanço desse período de funcionamento do projeto, pontuando o impacto desse trabalho. “Estamos em pleno funcionamento desde do dia 19 de outubro de 2023, completando 6 meses de atuação dentro do território de Heliópolis, servindo até o presente momento 74.230 refeições. Nossa expectativa é que até o final do projeto que está previsto para outubro desse ano de 2024, serão servidas 150.000 mil refeições durante todo o projeto. Um dado importante é que o convênio fomenta 400 refeições por dia e estamos fazendo 470, ou seja, estamos conseguindo elevar esse número graças aos parceiros doadores como o Mesa Brasil. Um avanço do projeto é sempre analisar aquilo que é uma demanda e trazer uma solução como foi o caso das embalagens de isopor que a comunidade notou um acúmulo desse material devido ao volume e que substituímos pela embalagem biodegradável, que mantém a mesma quantidade de alimento, com menos volume e reciclável. A cozinha ela vai além do espaço onde são servidas refeições, conseguimos trazer temáticas que envolvam o território e que valoriza datas comemorativas, fortalecendo o vínculo comunitário e identitário.” 



Maria Damasceno de Santana, carinhosamente chamada e conhecida como Cota, atua nos projetos da UNAS há muitos anos e hoje é a cozinheira da Cozinha Escola. Ela, junto com sua equipe, responde pela alimentação de mais de 400 refeições por dia, com um cardápio variado e muito nutritivo que impacta diretamente essas pessoas pela qualidade dos produtos e pelo empenho de todos que compõe o projeto. "Eu me sinto bem e realizada em atuar aqui na Cozinha Escola atendendo tantas pessoas que precisam dessa refeição que é feita com muito carinho e amor. Me sinto em uma posição de grande importância para todas essas pessoas que através do nosso trabalho, podem ser tão bem alimentadas aqui no nosso projeto. Sempre trabalhei cozinhando para crianças e adolescentes dentro dos CCA’s e aqui é um outro público, são pessoas idosas e adultos que encontram nesse trabalho maravilhoso, uma maneira de se alimentar. Durante a pandemia, vi muitas pessoas passando muitas dificuldades, sem ter o que comer ou até mesmo sem gás, e hoje ofertamos uma comida de qualidade, saudável e muito diversa, onde temos uma grande equipe, uma cozinha equipada e bem completa e a força de vontade que faz a diferença. É gratificante saber que estamos mudando a realidade dessas pessoas.”



A entrega das refeições acontece em duas frentes diferentes, mas com o mesmo cardápio. As 300 marmitas são entregues para população por ordem de chegada e as demais refeições são feitas na quadra da UNAS que recebe mais de 100 pessoas. Sheila Cristina Moraes da Silva, trabalhadora da Cozinha Escola, realiza uma importante etapa do processo da distribuição das refeições, tanto na entrega das senhas para quem realiza a alimentação dentro do espaço como também a distribuição e entrega das 300 marmitas. É justamente nesses dois momentos que a importante troca de vivências acontece, estabelecendo e fortalecendo diversos vínculos a partir do contato, da humanização e do afeto que perpassa esses momentos de vulnerabilidade, mas sobretudo de solidariedade.


“Esse projeto está sendo muito importante por que vem alimentando muitas vidas que realmente estão precisando desse auxílio e que por muitos fatores, estão passando por períodos de grande vulnerabilidade. Sou apaixonada por esse trabalho de interação social entre pessoas, gosto muito de estar próxima deles, tendo essa oportunidade de conhecer cada vez mais as histórias onde me apego muito e acabo tendo essa empatia por todos eles, independente de quem chega aqui e em qual situação elas chegam aqui na fila. Sinto que eles precisam desse acolhimento e eu faço de maneira muito respeitosa para gerar esse respeito mútuo. Tenho muita alegria em estar aqui, onde canto, brinco bastante e me sinto realizada por exercer esse trabalho que também tem seus desafios, mas que tem muita solidariedade e amor.”



São muitas histórias das pessoas que são beneficiadas pelo projeto Cozinha Escola e que motivam a continuidade dessa atuação no combate a fome e a insegurança alimentar. Essa relação próxima e de muito respeito tem feito a diferença nas pessoas que trabalham no projeto e principalmente das pessoas atendidas como é o caso da Sandra Carla Rodrigues Cruz (45) que conhece o trabalho desde da inauguração e nos conta emocionada como essa iniciativa tem feito a diferença na sua vida e da sua família. “Estou aqui na cozinha todos os dias desde de quando inaugurou e foi um projeto que me ajudou muito mesmo e falo que se não fosse o projeto, sinceramente estaria passando fome junto com minha família porque estou desempregada e tenho três filhos, dois são autistas e uma pequena de 2 anos. Foi uma benção de Deus pra mim e pra minha família por que moro aqui perto e chego cedo para garantir a alimentação dos meus filhos. A comida é maravilhosa, cada dia um cardápio diferente com um atendimento maravilhoso e de muito respeito como todos aqui da fila.”



132 visualizações

Comments


Posts Recentes
Arquivo
bottom of page