Projeto combate violência contra crianças e adolescentes na periferia

Projeto "Violência Aqui Não entra Não" vem mudando a realidade

de crianças e adolescentes no fundão do Ipiranga


Há 05 anos, o Projeto Violência Aqui Não Entra Não, uma parceria entre a UNAS e a organização alemã Kindernothilfe, vem atuando para contribuir com o rompimento dos ciclos de violência doméstica contra criança e adolescentes por meio do fortalecimento da rede de proteção social. O projeto tem um papel de articular diferentes atores, inclusive da comunidade, na promoção, prevenção e defesa dos direitos das crianças e adolescentes. Além de apoiar a formação de educadores sociais de acordo com uma política de proteção infantil para que sejam referencias de proteção e confiança principalmente para crianças que estejam sofrendo violência.


De primeiro de Janeiro à Maio deste ano o Brasil registrou aproximadamente 35 mil denúncias de violência contra crianças e adolescentes, resultando em 132,4 mil violações contra esse público. As mais recorrentes são as que violam a integridade de crianças e adolescentes, como violência física (maus-tratos, agressão e insubsistência material) e violência psicológica (insubsistência afetiva, ameaça, assédio moral e alienação parental).


Essa realidade se reflete dentro das periferias como expressão da vulnerabilidade social, por isso a importância de estimular os familiares e responsáveis a reflexão de que estejam agindo de forma violenta, pois pela naturalização da violência, em nome das palmadas que educam, ou ainda pela exaustiva carga de trabalho a que os adultos estão expostos, muitas vezes não percebem que dar um tapa, gritar, expor e não participar da vida escolar e desenvolvimento de seus filhos e filhas, estão na verdade os violentando.


Em 2021, o Projeto “Violência Aqui Não Entra Não!” completou 05 anos de atuação, acompanhando 400 crianças e adolescentes de 06 à 14 anos atendidas nos Centros para Criança Adolescentes: CCA Izaura Maria da Conceição (Favela do Boqueirão), CCA Georgina Maria do Carmo (Jardim Maristela), CCA Plácido de Souza Filho (Jardim São Savério) e CCA Aziz Ab’saber (Cursino) e para celebrar essa data o projeto lançou um mini documentário sobre as ações que estão mudando a realidade de centenas de crianças e adolescentes.


Posts Em Destaque