top of page
  • Escrito por Gustavo Pinto | Edição Douglas Cavalcante

Hortas Comunitárias são alternativa para um vida melhor na periferia


Morador de Heliópolis cria horta comunitária e contribui para uma comunidade mais verde e saudável


As hortas Urbanas são espaços essenciais na nossa sociedade, ajudam no clima, no ar puro, além de gerar a possibilidade de plantio para consumo. Seu Afonso é um senhor de 83 anos de idade e começou a plantar em um espaço em frente sua casa em Heliópolis, hoje a sua horta se popularizou entre os vizinhos que passaram também a cultivar diversas plantas com a sua ajuda.


A hortas são muito importantes não só para o meio ambiente mas também contribuem muito para a luta contra a fome, com o próprio cultivo dos alimentos populações poderiam se alimentar gerando um custo muito baixo de produção. O acesso ao alimento é um ponto crucial a ser discutido principalmente com as novas gerações, uma conscientização precisa ser feita com essas pessoas, que jovens ou não precisam descobrir os benefícios de plantar seu próprio alimento, que além de um controle do cultivo o processo pode ser visto também como terapêutico “A importância da horta em espaço aberto é incentivar os moradores por terem um potencial de cuidado e também de trabalharem com a saúde mental, você pode plantar ervas medicinais, reduzindo medicamentos e ajudando na qualidade de vida. Pessoas que cultivam têm menos ansiedade e problemas com hipertensão, além de ajudar muito na qualidade do ar” disse Nahara Luiza, uma das educadoras do Projeto Da Horta Pra Mesa. 


Seu Afonso, nascido em Minas, chegou na região de Heliópolis há cerca de 50 anos atrás junto de sua esposa e pensando em seus filhos começou a mexer no espaço verde em frente à sua casa e assim começou a tratar do que hoje é sua horta. O senhor era operador de máquina injetora de plástico e hoje é aposentado, é pai de três filhos e avô de quatro netos. Contou que aprendeu sozinho a mexer na horta porque tinha tempo livre e aos poucos foi cultivando suas plantas “Teve um dia que encontrei uma engenheira aqui, acho que era dos prédios, ela ficou encantada com a horta e as minhas plantas, me incentivou e hoje está como tá” revelou ele sobre o canteiro que cuida. 



Hoje, ele se dedica a horta quase que diariamente, mas seus vizinhos quando viram o quão rico poderia ser esse espaço começaram apoiar, delimitando pequenos espaços para cultivo de toda a vizinhaça. A horta do Seu Afonso e dos vizinhos hoje produz diversos frutos e ervas medicinais, inclusive ele já percebeu também o quanto esse espaço ajuda no seu cotidiano, melhorando problemas de saúde como na sua coluna e memória “Eu faço porque eu gosto, me ajuda na minha saúde e to ativo, ainda consigo capinar e cuidar de tudo aqui, ensino pros meus netos que eles podem ter espaços como este porque eu to ensinando” disse Afonso sobre os benefícios. 


As hortas comunitárias e urbanas ajudam o meio-ambiente como um todo gerando uma manutenção da sobrevida local, em um pensamento mais crítico esses espaços poderiam contribuir também para a erradicação da fome nas periferias, claro que com mais recursos e incentivo do próprio estado “Essas hortas são muito importantes porque um dos maiores problemas que enfrentamos é a fome, e essa é uma forma de mitigar a fome, claro que não vai resolver o problema de uma vez mas ajuda muito. As hortas urbanas fazem a manutenção de toda uma vida com os animais que vivem naquele espaço desde abelhas a microrganismos, se cada um tivesse a oportunidade de ter uma horta em casa nós teríamos uma fauna mais diversa, porque a abelha não fica em lugar só ela poleniza expandindo as hortas em uma fonte de vida” contou Fernanda Muller, pesquisadora do Observatório De Olho na Quebrada e estudante da licenciatura em Ciências Humanas da UFABC.


Hortas urbanas podem ser uma ferramenta de combate a fome, esses espaços além de contribuir com o meio-ambiente podem produzir alimentos com nutrientes necessários para ajudar quem mais precisa “Quando dá pouco eu trago para as crianças, mas quando dá muito fruto eu deixo o pessoal pegar, eu jamais venderia, mas quero que o pessoal também participe” contou Afonso. 


Hoje na UNAS percebemos que o incentivo ao cuidado com a natureza é muito importante, principalmente se for incentivado já na primeira infância criando um sentimento de pertencimento em meio à selva de pedra. Dentre os 59 projetos realizados na UNAS em 2023, um deles foi o Projeto Da Horta Para a Mesa que é desenvolvido por meio do CONDECA com patrocínio da Companhia Siderúrgica Nacional e a Bayer Brasil, que faz um trabalho pedagógico com a primeira infância de 10 das nossas creches “o principal foco do nosso projeto é a educação ambiental na primeira infância, pois é nesse período que a criança está se desenvolvendo, podendo trabalhar a educação sobre o ambiente que elas estão gerando, uma preocupação com o todo, pensando também na alimentação saudável” expôs Nahara educadora do projeto. 



O espaço cuidado pelo Seu Afonso fica na beira de um córrego e a revitalização de espaços como este é um dos passos para que possamos lutar contra diversos problemas climáticos e contribuir para um espaço mais saudável em questão de ar puro. O Presidente Lula na COP28 revelou que o Brasil têm se comprometido com essas questões a nível mundial, o aquecimento global já é uma realidade e aos poucos podemos perceber que o cuidado com a natureza, nossa fauna e flora, é o caminho para enfrentarmos problemas que podem ser catastróficos futuramente “O Brasil se comprometeu a reduzir em até 48% das emissões até 2025 e 52% até 2030, além de atingir neutralidade climática até 2050, nossa NDC é mais ambiciosa do que vários países que poluem a atmosfera desde a revolução industrial no século XIX… Mantemos o firme compromisso de zerar o desmatamento da Amazônia até 2030, já conseguimos reduzi-lo em quase 50% só nos dez primeiros meses deste ano, o que evitou a emissão de 250 milhões de toneladas de carbono na atmosfera” disse o Presidente sobre seu compromisso com a natureza para líderes mundiais. 


Os espaços verdes devem ser incentivado por toda sociedade, pois hoje é possível ter uma horta em seu apartamento ou em espaços pequenos não necessitando de um canteiro de terra, com cuidado podemos contribuir para a melhora de uma vida saudável para todos “As hortas vivas trazem um ambiente que dissipa o calor, as áreas com mais verdes na cidade são mais frescos, existe uma sensação de conforto térmico, o que é muito raro de se sentir nas periferias de São Paulo”, afirmou a pesquisadora Fernanda. 


Além dos problemas climáticos que o desmatamento contribui, a falta de espaços verdes e acima de tudo a falta de pessoas que cuidem deles podem acarretar em problemas muito preocupantes futuramente, o entendimento da importância do ser humano ser parte da natureza e não ser o outro é crucial para que possamos garantir um futuro com saúde para as próximas gerações, o futuro está nesses espaços, mas me conta já começou sua horta em casa?



224 visualizações

Comments


Posts Recentes
Arquivo
bottom of page